fbpx

O que você faria se tivesse anos de experiência em sala de aula e visse, ano após ano, alunos com as mesmas dificuldades em matemática, a matéria mitificada como “o terror” pela maioria deles?

Reforço já não adianta, os alunos só procuram por eles em época de prova. Visando mudar esse cenário, a professora Benedita Amélia Batista criou o Projeto Desenrolando a Matemática, que tinha a intenção de deixar as aulas mais descontraídas e principalmente apresentar a matemática como uma amiga, e não inimiga.

Veja como você pode aprender com esse projeto:

1. O Uso de Jogos (tornar lúdico)

O pontapé inicial do projeto de Benedita foi extrair da matemática toda a parte lúdica do aprendizado através de jogos. Para criá-los, a criatividade não tem limites – ela usa, uma vez por semana, games online no laboratório de informática, mas quando não há horários disponíveis, utiliza sucata para criar carrinhos de um jogo de corrida, onde a cada cálculo acertado, ele pode avançar um pouco mais para perto da linha de chegada.

O segredo dos games para educação está em tornar simples algo complicado, e segundo a própria professora, “as crianças não gostam da matemática porque não aguentam mais ouvir “abra o livro na página tal”, mas com ajuda dos jogos, conseguem, sim, entender com facilidade.”

2. Seja amigo de seus alunos

Benedita criou uma relação de confiança com seus alunos, sendo gentil e amiga para que eles pudessem corresponder aos jogos desde o primeiro dia de aula. Ela usou uma estratégia para se aproximar dos estudantes (e aproximar a matemática deles também), apresentando crachás com números de identificação para cada um deles representarem aqueles números em cubos e barras. Por exemplo, com o número 1225, ela pegaria um cubo grande, duas placas, duas barras e cinco cubinhos.  Enquanto isso, os outros devem ir até a lousa para escrever o número.

3. Ser multidisciplinar

Para emplacar um projeto que visa desmitificar a matemática, um dos segredos de Benedita foi unir outra área à matemática, reforçando o conceito de interdisciplinaridade.

Unir a matéria à outra como a arte fez com que alunos desmotivados se aproximassem mais da matemática, criando uma afinidade nova a partir de uma já existente.

4. Levar os projetos para o conhecimento dos pais

Uma das razões para o sucesso do projeto foi ele ter chegado ao conhecimento dos pais em reuniões. Dessa forma, há um apoio e um estímulo a mais, ele ganha força externa e as crianças se sentem mais motivadas. Com esse conhecimento e reconhecimento é até possível aprimorar ainda mais o projeto.

O que você tem feito para mobilizar seus alunos em sala de aula? Conte pra gente e volte para conhecer mais casos de sucesso 🙂